Casamentos

Carol e Moisés

A sessão de hoje é pra você que curte a vida e os momentos mais simples!

A história da Carol e do Moka é daquelas de cinema, do jeito que a gente adora! Tem a primeira paixão da adolescência, e o reencontro na fase adulta. Teve também aquele casamento num fim de tarde em um campo lindo com direito a um pôr do sol incrível (nesse dia eu vi, eu tava lá e lembro de ter ficado feliz da vida quando tocou a música de abertura de Friends na entrada dos padrinhos). E por fim (que ainda é só o começo de tudo), teve também duas gêmeas fofas demais pra deixar a vida desses dois ainda mais colorida e animada!

Nossa sessão estava agendada para uma segunda-feira, dia de folga dos dois. E justo nesse dia o mundo resolveu cair abaixo, amanheceu um dia chuvoso e um frio do caramba. Era a Carol ansiosa de lá e eu pensativa de cá. Entre um áudio e outro saiu aquele meu convite meio que com nervoso da resposta que poderia vir. 

- E se a gente fizer na chuva mesmo? Vocês topariam se molhar? 

A resposta não poderia ser mais Carol. Um sim todo despreocupado e cheio de coragem! Simbora então, e se chover, vai com chuva mesmo!

Saímos entre pingos e tempo fechado e fomos em direção a cidade vizinha a nossa, Águas Mornas. Nosso destino era incerto, sabíamos que faríamos boas fotos, e eu tinha certeza apenas da disposição dos dois e do tanto de amor que poderia registrar. O lugar e como o tempo estaria ainda era uma incógnita, cheio de emoção, do jeito que tem que ser haha Naaaaada que pais de gêmeas já não devem estar acostumados, né não? haha

Começamos com sorte, logo de início encontramos uma pequena plantação, nossa primeira parada. Eu sou a louca das plantações e os dois ainda um pouco tímidos se jogaram comigo. O tempo se mantendo a nosso favor e toda a beleza de dias nublados reinando. O ritmo tinha que ser intenso, a qualquer momento um pé de água poderia chegar e encurtar a nossa sessão. Encontramos no meio do caminho uma estufa toda verdinha, e foi só entrar ali que o mundo desabou. a tal chuva caiu sem parar, mas ali estávamos protegidos dela por enquanto e daaale fotografar..

Resolvemos sair e procurar um outro canto, e pra nossa surpresa a chuva forte parou. Mas parou mesmo, parecia que alguém lá de cima estava abrindo e fechando a torneira conforme a gente fosse pedindo hahaha Encontramos logo em frente mais um cantinho do jeitinho que eu gosto, cheio de cenários em pouco mais de 20 metros. Ali teve asfalto e também terra molhada (com direito a poça de água mais difícil de se pular na vida haha), teve também molduras de plantas e uma luz incrível num cantinho escondido que o Moka encontrou explorando (o meu medo de tudo agradece essa parte, sqn haha).


Até que ela, a chuva, quando já estávamos ansiosos pela sua chegada resolve cair e nos brindar com um encerramento do jeitinho que planejávamos. Com toda certeza o roteirista lá de cima tava focado nesse dia. Que sessão, quanta intensidade em duas pessoas só, quanta gargalhada e quanto amor! Eu hoje vendo o resultado de tudo só posso agradecer, a disposição, por cada detalhe e principalmente, por cada sorriso solto que vocês me doaram.

Minha admiração e gratidão.
Com carinho, Fran :)